O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2018 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts

28 maio 2018

Uma coluna semanal

Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato. Nota: "Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19. Confira na edição 1272 de 25/05/2018, aqui. Sinopse do livro aqui.

27 maio 2018

Quando o absurdo toma conta da vida

Confira aqui. [amplie a imagem clicando sobre ela com o lado esquerdo do rato]

26 maio 2018

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1272, de 25/05/2018, disponível na íntegra com 47 páginas aqui.

25 maio 2018

Um prisma sobre Moçambique

Um prisma sobre Moçambique através do mais recente número de um boletim editado por Joseph Hanlon com 05 páginas, a conferir aqui.

24 maio 2018

Feiticismo da aparência

Nada custa fazermos uso acrítico de termos e expressões do género "os homens", "as mulheres", "o ser humano", "a sociedade civil", "a natureza humana". Por outras palavras: nada custa aceitarmos e praticarmos, não poucas vezes de forma inconsciente, o feiticismo da aparência, despojando os seres sociais da sua determinação social, dos seus grupos, das suas classes, dos seus antagonismos.

23 maio 2018

História é uma arma

22 maio 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [61]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações" (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p. 6).
-"Gente idosa e residente em Chitima acredita que nas mediações daquele povoado há rios povoados por Crocodilos e que apesar deste animal ser de difícil aquisição, um experiente premeditou este acto, tendo colhido e devidamente conservado partes de bílis deste animal, com o intuito de dizimar vidas. Esta asserção vem ao de cima por experiências amargas do passado e que virou lenda naquele povoado!" Aqui.
-No "Notícias" de 21 de Outubro de 2016: "Cinco indivíduos indiciados de extracção de bílis de 24 crocodilos na albufeira de Cahora-Bassa estão a responder em juízo na província de Tete. O caso é deveras preocupante pois o veneno deste líquido é letal. Até ao momento não são conhecidas as razões da sua extracção e o paradeiro desta substância." Aqui.
Número inaugural aqui, número anterior aqui.
A crença de que o suco biliar do crocodilo é venenoso é uma forma popular de traduzir o Perigo Absoluto, o Grande Mal, a Impureza Total desse réptil.
Eis, agora, três perguntas:
1. É a crença cientificamente válida?
2. É ela objectivamente falsa, mas subjectivamente sentida como verdadeira?
3. Se é subjectivamente sentida como verdadeira, qual a razão ou quais as razões?

21 maio 2018

Uma coluna semanal

Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato. Nota: "Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19. Confira na edição 1271 de 18/05/2018, aqui. Sinopse do livro aqui.

20 maio 2018

Entorpecer

Existem múltiplas formas de politizar a recreação, de colonizar o império dos sentidos, de entorpecer a nossa capacidade crítica.

19 maio 2018

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1271, de 18/05/2018, disponível na íntegra com 31 páginas aqui.

18 maio 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [60]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações" (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p. 6).
-"Gente idosa e residente em Chitima acredita que nas mediações daquele povoado há rios povoados por Crocodilos e que apesar deste animal ser de difícil aquisição, um experiente premeditou este acto, tendo colhido e devidamente conservado partes de bílis deste animal, com o intuito de dizimar vidas. Esta asserção vem ao de cima por experiências amargas do passado e que virou lenda naquele povoado!" Aqui.
-No "Notícias" de 21 de Outubro de 2016: "Cinco indivíduos indiciados de extracção de bílis de 24 crocodilos na albufeira de Cahora-Bassa estão a responder em juízo na província de Tete. O caso é deveras preocupante pois o veneno deste líquido é letal. Até ao momento não são conhecidas as razões da sua extracção e o paradeiro desta substância." Aqui.
Número inaugural aqui, número anterior aqui.
Observei no número anterior que nos nossos rios há séculos que pessoas são agarradas, mortas e devoradas por crocodilos quando, inadvertidas, lavam roupa ou tomam banho. Tenha-se em conta, por exemplo, o Zambeze. 
E acrescento agora: sobre os crocodilos foram construídos medos, presságios e lendas. Uma das lendas assenta na crença de que partes dos seus corpos possuem propriedades letais, como a cabeça e o fígado. A crença de que o suco biliar do crocodilo é venenoso é uma forma popular de traduzir o Perigo Absoluto, o Grande Mal, a Impureza Total desse réptil.

17 maio 2018

Sobre seguir

Quanto menor for a escolaridade e mais forte o peso das tradições e da palavra dos guardiões do pensamento local, mais forte é a tendência para seguir o que é dito, proposto ou imposto.

16 maio 2018

Coleção no Brasil com Bento Sitoe

O linguista, escritor e docente universitário moçambicano Bento Sitoe, membro do fórum autoral da coleção Cadernos de Ciências Sociais e co-autor de um livro da coleção com capa e contracapa na imagem acima, está a reger um curso intensivo para ​Mestrandos ​na Universidade Federal de Goiás​ (UFG-Catalão) no Brasil​​, indo também participar num simpósio. Aqui. Graças aos bons ofícios da Escolar Editora e dos Colegas da organização do evento após proposta de Bento Sitoe, os livros já editados da coleção  citada estarão em exposição para os participantes.
​Finalmente, recorde um duplo lançamento da coleção em Fevereiro de 2015 na cidade de Maputo, aqui.​

15 maio 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [59]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações" (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p. 6).
-"Gente idosa e residente em Chitima acredita que nas mediações daquele povoado há rios povoados por Crocodilos e que apesar deste animal ser de difícil aquisição, um experiente premeditou este acto, tendo colhido e devidamente conservado partes de bílis deste animal, com o intuito de dizimar vidas. Esta asserção vem ao de cima por experiências amargas do passado e que virou lenda naquele povoado!" Aqui.
-No "Notícias" de 21 de Outubro de 2016: "Cinco indivíduos indiciados de extracção de bílis de 24 crocodilos na albufeira de Cahora-Bassa estão a responder em juízo na província de Tete. O caso é deveras preocupante pois o veneno deste líquido é letal. Até ao momento não são conhecidas as razões da sua extracção e o paradeiro desta substância." Aqui.
Número inaugural aqui, número anterior aqui.
Prossigo sobre o crocodilo enquanto repositório do Perigo Absoluto, do Grande Mal, nas representações populares. Animal grande, animal perigoso, animal feio, animal assassino, animal traiçoeiro, animal coriáceo: é de múltiplas maneiras que o crocodilo surge nas representações populares africanas. Nos nossos rios há séculos que pessoas são agarradas, mortas e devoradas por crocodilos quando, inadvertidas, lavam roupa ou tomam banho. Tenha-se em conta, por exemplo, o Zambeze.

14 maio 2018

Uma coluna semanal

Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato. Nota: "Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19. Confira na edição 1270 de 11/05/2018, aqui. Sinopse do livro aqui.

13 maio 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [58]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações" (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p. 6).
-"Gente idosa e residente em Chitima acredita que nas mediações daquele povoado há rios povoados por Crocodilos e que apesar deste animal ser de difícil aquisição, um experiente premeditou este acto, tendo colhido e devidamente conservado partes de bílis deste animal, com o intuito de dizimar vidas. Esta asserção vem ao de cima por experiências amargas do passado e que virou lenda naquele povoado!" Aqui.
-No "Notícias" de 21 de Outubro de 2016: "Cinco indivíduos indiciados de extracção de bílis de 24 crocodilos na albufeira de Cahora-Bassa estão a responder em juízo na província de Tete. O caso é deveras preocupante pois o veneno deste líquido é letal. Até ao momento não são conhecidas as razões da sua extracção e o paradeiro desta substância." Aqui.
Número inaugural aqui, número anterior aqui.
O Sr. Mabote foi agredido e impedido de tirar a cabeça do crocodilo. Um criador de crocodilos próximo da área, Sr. José Ferreira, garantiu que o animal não lhe pertencia." Aqui. Ora, não há comprovação científica de que a "massa cerebral" do crocodilo seja um "veneno mortífero".

12 maio 2018

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1270, de 11/05/2018, disponível na íntegra com 31 páginas aqui.

11 maio 2018

Jornais

De Antonio Gramsci: "Os jornais são aparelhos ideológicos cuja função é transformar uma verdade de classe num senso comum, assimilado pelas demais classes como verdade coletiva – isto é, exerce o papel cultural de propagador de ideologia. Ela embute uma ética, mas também a ética não é inocente: ela é uma ética de classe." Aqui.

10 maio 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [57]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações" (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p. 6).
-"Gente idosa e residente em Chitima acredita que nas mediações daquele povoado há rios povoados por Crocodilos e que apesar deste animal ser de difícil aquisição, um experiente premeditou este acto, tendo colhido e devidamente conservado partes de bílis deste animal, com o intuito de dizimar vidas. Esta asserção vem ao de cima por experiências amargas do passado e que virou lenda naquele povoado!" Aqui.
-No "Notícias" de 21 de Outubro de 2016: "Cinco indivíduos indiciados de extracção de bílis de 24 crocodilos na albufeira de Cahora-Bassa estão a responder em juízo na província de Tete. O caso é deveras preocupante pois o veneno deste líquido é letal. Até ao momento não são conhecidas as razões da sua extracção e o paradeiro desta substância." Aqui.
Número inaugural aqui, número anterior aqui.
No último número vimos que o Sr. Bernardo Mabote apoderou-se da cabeça do crocodilo, "cuja massa cerebral é tida como um veneno mortífero para as pessoas." - assegurou o jornal "Notícias".
E depois? Depois, o chefe do quarteirão 2 do bairro de Zimpeto, o Sr. Gaspar, "tentou, sem sucesso, proteger a parte da cabeça do animal para evitar que ficasse com indivíduos de conduta duvidosa, que eventualmente podem usar o cérebro para envenenamentos".

09 maio 2018

O que são direitos humanos?

O que são direitos humanos? - eis o novo tema-pergunta da coleção Cadernos de Ciências Sociais da Escolar Editora cuja preparação vai iniciar-se, com autoria de Alexandra Simeão (Angola), Patrícia Jerónimo (Portugal), Ivete Espada (Moçambique) e Rodolfo Jacarandá (Brasil).

08 maio 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [56]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações" (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p. 6).
-"Gente idosa e residente em Chitima acredita que nas mediações daquele povoado há rios povoados por Crocodilos e que apesar deste animal ser de difícil aquisição, um experiente premeditou este acto, tendo colhido e devidamente conservado partes de bílis deste animal, com o intuito de dizimar vidas. Esta asserção vem ao de cima por experiências amargas do passado e que virou lenda naquele povoado!" Aqui.
-No "Notícias" de 21 de Outubro de 2016: "Cinco indivíduos indiciados de extracção de bílis de 24 crocodilos na albufeira de Cahora-Bassa estão a responder em juízo na província de Tete. O caso é deveras preocupante pois o veneno deste líquido é letal. Até ao momento não são conhecidas as razões da sua extracção e o paradeiro desta substância." Aqui.
Número inaugural aqui, número anterior aqui.
Prossigo o relato do que aconteceu em 2008 na periferia da cidade de Maputo, a saber: segundo o "Notícias", o crocodilo foi abatido e a carne distribuída, mas tudo misturado com uma grossa inquietação, pois o Sr. Bernardo Mabote apoderou-se da cabeça do animal, "cuja massa cerebral é tida como um veneno mortífero para as pessoas."

Um prisma sobre Moçambique

Um prisma sobre Moçambique através do mais recente número de um boletim editado por Joseph Hanlon com 05 páginas, a conferir aqui.

07 maio 2018

Uma coluna semanal

Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato. Nota: "Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19. Confira na edição 1269 de 04/05/2018, aqui. Sinopse do livro aqui.

06 maio 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [55]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações" (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p. 6).
-"Gente idosa e residente em Chitima acredita que nas mediações daquele povoado há rios povoados por Crocodilos e que apesar deste animal ser de difícil aquisição, um experiente premeditou este acto, tendo colhido e devidamente conservado partes de bílis deste animal, com o intuito de dizimar vidas. Esta asserção vem ao de cima por experiências amargas do passado e que virou lenda naquele povoado!" Aqui.
-No "Notícias" de 21 de Outubro de 2016: "Cinco indivíduos indiciados de extracção de bílis de 24 crocodilos na albufeira de Cahora-Bassa estão a responder em juízo na província de Tete. O caso é deveras preocupante pois o veneno deste líquido é letal. Até ao momento não são conhecidas as razões da sua extracção e o paradeiro desta substância." Aqui.
Número inaugural aqui, número anterior aqui.
O que sucedeu em 2008 na periferia da cidade de Maputo? Sucedeu o seguinte, fazendo fé numa descrição do jornal "Notícias": "Apareceu um crocodilo com dois metros de comprimento junto ao muro de vedação do paiol das Forças Armadas na cidade de Maputo e a festa instalou-se logo entre os residentes dos quarteirões dois e três do bairro do Zimpeto e parte de Mahlazine." Se não se importam, prossigo mais tarde. 

05 maio 2018

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1269, de 04/05/2018, disponível na íntegra com 35 páginas aqui.

04 maio 2018

Fontes

Há quem defenda que as fontes orais são mais puras do que as fontes escritas. Porém, nenhuma fonte escrita é, à partida, menos verdadeira do que uma fonte oral. Salvo se quisermos fazer finca-pé numa opção normativa, ambos os tipos de fontes são porosos ao refazer factual, à erosão do tempo, ao erro de análise, ao prejuízo, ao juízo de valor, às múltiplas opções culturais, à manipulação política deliberada na tensão das relações de poder.